Em 1984, Francisco Medeiros injetou nova energia no Estúdio de Atores do Teatro Popular do Sesi, dirigido por Osmar Rodrigues Cruz.

A finalidade das oficinas era preparar multiplicadores para outras unidades do Sesi.

O segundo trabalho do Estúdio de Atores, em 1985, foi sobre o Cangaço.

A escolha do tema não era fortuita: depois de mais de 20 anos de ditadura militar, o estudo das reações do povo às atividades dos cangaceiros em luta contra o arbítrio da república brasileira ainda jovem nos primórdios do século XX, estabelecia um paralelo imediato com a resistência ao regime militar.

A vasta pesquisa sobre o Cangaço foi realizada pelo grupo no geral muito jovem.

Os exercícios cênicos conduzidos por Francisco Medeiros a partir da pesquisa documental resultaram no texto dramático

A prevalença do destino apresentado no Teatro Popular do Sesi em São Paulo em 1986.

A PREVALENÇA DO DESTINO