Amor e medo 1
Amor e medo 3
Amor e medo 4
Amor e medo 2

Mais que uma precoce autobiografia, Amor e medo foi um registro do desencanto e desalento da geração que vivia durante a ditadura militar iniciada em 1964.

Mesmo não sendo ativista, quem trabalhava com arte, teatro, cinema estava num dos vórtices da resistência ao regime.

Em 1970, José Rubens Siqueira deixou o Brasil para viver na

Europa, sobretudo em Londres e Madri.

Este filme, que originalmente se chamava A passagem das horas, como o poema de Fernando Pessoa, ficou inconcluso, como uma espécie de despedida da primeira juventude e do país que parecia morrer sob o tacão do arbítrio.

Foi concluído na volta ao Brasil em 1974, quando o filme recebeu seu título definitivo, de um ensaio de Mário de Andrade, Amor e medo.

A linguagem experimental não fez dele um filme popular, mas, em 1976, repartiu um prêmio de experimentação cinematográfica com As três mortes de Solano, do mestre Roberto Santos, o que constitui uma honra.

 

Todas as cópias do filme se perderam.

Argumento, roteiro e direção

José Rubens Siqueira

 

Fotografia

Leonardo Bartucci

 

Montagem

Frieda Dourian

 

Com

José Wilker

Irene Stefânia

Marialice Vergueiro

Carlos de Moura

Rogério de Poly

Hugo Prata Filho

Gabriela Rabelo

e outros

 

Produção Batukfilm

Rio de Janeiro – RJ

AMOR E MEDO