Andaluz partiu da ideia de um espetáculo sobre as intensas personagens femininas de Lorca.

O título inicial, Mulheres de Lorca, perdeu o sentido quando, durante a pesquisa das entrevistas, ensaios e da poesia de Lorca aflorou um curioso paralelismo entre as personagens das peças e o momento que o poeta vivia ao escrevê-las. As mulheres de Lorca eram um sutil e velado auto retrato.

O texto final resultou uma biografia de Lorca escrita exclusivamente com textos retirados de sua obra e ganhou o título de Andaluz.

ANDALUZ estreou em 1988 

no Teatro João Caetano de São Paulo,
Direção, cenário e figurino do autor
Gabriela Rabelo, Tânia Bondezan e Haroldo Botta
desempenhavam todos os papéis,

com o suporte musical de César Assolant.

GALERIA

CLIPPING

O Estado de São Paulo  12 de setembro de 1988

ANDALUZ

Registro na SBAT 25.388

A gravação analógica em VHS era a única possibilidade de registro na época deste espetáculo. Foram gravadas duas fitas, com a pesada câmera na mão. A primeira, com planos gerais, se perdeu. Esta, a fita de detalhes para edição sobreviveu com toda sua rusticidade. A gravaçao é aqui apresentada em seu estado bruto, com interrupções e breves repetições, um quase 'making of' avant la lettre.